12 novembro 2013

Lucia Mariano participa de movimento em Brasilia e Prefeitos pressionam por mais R$ 6 bilhões

lucia e adalberto no grito do nordeste

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) reúniu nesta terça-feira (12), em Brasília, prefeitos de todas as regiões do país para pressionar o Governo Federal e o Congresso Nacional a liberarem mais dinheiro para as prefeituras. O presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, afirmou que se reunirá ainda  com a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, e com os presidentes da Câmara Federal, Henrique Alves (PMDB-RN), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para pedir apoio a projetos de interesse dos prefeitos que estão tramitando no Legislativo.

Um dos principais pontos das conversas deve ser a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 341/2013 que aumenta em 2% o repasse da União para o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) – acréscimo, em valor absoluto, de cerca de R$ 6 bilhões, segundo estima a CNM. O fundo é formado por 23,5% da arrecadação do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e do IR (Imposto de Renda).
Dados divulgados pela CNM mostram que esses recursos, em 2013, somam R$ 72,4 bilhões. O acréscimo de 2% a esse valor seria equivalente a R$ 6,1 bilhões, o que deixaria o fundo com R$ 78,5 bilhões.  No Senado, os prefeitos devem defender uma emenda à PEC do Orçamento Impositivo que prevê que 18% da Receita Corrente Líquida da União – e não 15% – seja repassada para a saúde.
Outro item da pauta defendida pelos prefeitos deve ter apoio do Governo Federal: os municípios querem barrar, no Congresso Nacional, a votação de projetos que criam pisos salariais nacionais, como os dos agentes comunitários de saúde e dos agentes de endemia, com medo de ter que arcar com os custos resultantes da medida.  Também com relação a salários, os prefeitos vão pedir apoio para votar um projeto que muda a forma de reajustar os salários de professores. Hoje, o reajuste acompanha o crescimento do custo mínimo por aluno.
A CNM quer a correção com base no INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor).  Nem o Supremo Tribunal Federal escapa do périplo por mais verbas para as cidades. Ziulkoski planeja ainda nesta terça-feira ter uma reunião com a ministra Carmen Lúcia para pedir que a Corte coloque logo em julgamento a liminar que suspendeu os efeitos da lei que estabeleceu nova divisão para os royalties do petróleo. Essa nova distribuição beneficia a maior parte das cidades, que não são produtoras de petróleo, e devem passar a receber o dinheiro.
Do sertão a Prefeita de Afranio Lucia Mariano e o Deputado Adalberto Cavalcanti participaram do encontro e vão aguardar os resultados. A prefeita aproveitou a sua estada na capital federal para assinar novos convênios federais e buscar mais obras para Afrânio.
(Informações Blog Vinicius de Santana)
Blog Bruno Brito
Compartilhar:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

CONNECT VIAGENS E TURISMO






Broomer






ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI











Tecnologia do Blogger.

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

MESTRE SERVIÇOS






PARCEIRO






Cachoeira do Roberto 200 Anos

Cachoeira do Roberto 200 Anos

Instagram


Pesquise







Mais Acessadas

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI