21 julho 2016

SDS afirma à família de Beatriz que está próxima de solucionar o caso

1
Após quase 19 horas no Recife, os pais da garota Beatriz Angélica Mota finalmente conseguiram o que queriam no Recife: uma audiência com o governador Paulo Câmara para solicitar urgência na resolução do crime. A garota foi morta dentro de uma escola particular em Petrolina, no Sertão, em dezembro do ano passado durante uma festa. Sandro Romildo e Lúcia Mota, pais de Beatriz, escutaram dos representantes do Estado, que a Polícia Civil está próxima de solucionar o caso. 
A reunião no Palácio do Campo das Princesas também contou com a participação do secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, do secretário da Casa Civil, Marcelo Canuto, e do chefe da Polícia Civil, Antônio Barros. A cúpula da segurança em Pernambuco ainda solicitou que todas as pessoas que estiveram na festa, no dia da morte da garota, forneçam fotos e vídeos à polícia, para ajudar a solucionar o quebra-quebra cabeça que já dura sete meses.
“Nós estamos fazendo um trabalho muito forte e contundente na análise das imagens e estamos revendo todas as que foram feitas no dia da festividade no colégio, sejam fotos, sejam filmagens. Está sendo revisto tudo porque há informações que são importantes para que a gente possa montar o quebra-cabeça”, ressaltou Antônio Barros.
Bastante emocionados, Sandro e Lúcia se disseram satisfeitos com a reunião. “A nossa batalha só termina quando esses assassinos forem punidos pelo que eles fizeram. E que a nossa coragem e determinação de buscar por isso sirva para outras famílias que estão ou que passaram por uma situação como esta que não desistam”, disse a mãe de Beatriz.
Antes de serem recebidos pelo governador, Sandro Romildo e Lúcia Mota não queriam ser recebidos pelos secretários e ficaram cinco horas dentro do ônibus que trouxe os famíliares e amigos da garota até a capital, até serem recebidos por Paulo Câmara. “Peço desculpas a cidade do Recife por interrompermos o trânsito, mas foi preciso para chamar a atenção. Estamos com o coração muito dolorido, nós que passamos as noites sem dormir, que deixamos nosso trabalho e nós que assistimos aos nossos filhos chorarem todos os dias à procura da irmã e não a acharem”, contou o pai de Beatriz.
O secretário Alessandro Carvalho garantiu que não tomará medidas precipitadas e que não daria maiores detalhes sobre o andamento do inquérito para não atrapalhar as investigações. “O primeiro compromisso que a gente firmou é que nós não vamos parar de trabalhar. E o segundo é que não vmaos buscar um culpado a qualquer preço para dizer que a polícia fez sua parte. Vamos trabalhar e buscar os responsáveis por esse crime bárbaro”, enfatizou.Em nota, a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco informou que “todos os esforços estão sendo empenhados para solucionar o caso. Detalhes da investigação não podem ser revelados uma vez que o sigilo é precioso para que se chegue ao(s) culpado(s) do crime”. G1
Blog Bruno Brito
Compartilhar:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

CONNECT VIAGENS E TURISMO






Broomer






ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI











Tecnologia do Blogger.

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

MESTRE SERVIÇOS






PARCEIRO






Cachoeira do Roberto 200 Anos

Cachoeira do Roberto 200 Anos

Instagram


Pesquise







Mais Acessadas

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI