28 outubro 2018

Bolsonaro vence segundo turno e é eleito o novo presidente do Brasil

O capitão reformado superou Fernando Haddad, do PT; a apuração das urnas segue em curso, mas matematicamente o petista não consegue virar

Bolsonaro vence segundo turno e é eleito o novo presidente do Brasil
Os eleitores brasileiros foram às urnas neste domingo, dia 28 de outubro de 2018, e decidiram que Jair Messias Bolsonaro será o próximo presidente da República Federativa do Brasil.
Candidato ao Planalto pelo PSL, Bolsonaro venceu o segundo turno das eleições com 55,54 % dos votos, contra 44,46 % do adversário Fernando Haddad, do PT. A apuração das urnas ainda não terminou, mas matematicamente o petista não consegue alcançar o parlamentar.
Capitão reformado do Exército e deputado federal há 27 anos, Bolsonaro assumirá o cargo executivo no dia 1º de janeiro de 2019, quando receberá das mãos de Michel Temer, em Brasília, a faixa presidencial.
Campanha
Jair Bolsonaro liderou as pesquisas de intenção de voto durante toda a campanha eleitoral. Na reta final, ele chegou a perder alguns pontos, mas mesmo assim venceu.
Antes do primeiro turno, no dia 6 de setembro, ele sofreu um ataque a faca durante um ato em Juiz de Fora (MG) e teve de passar por dois procedimentos cirúrgicos. Com a saúde debilitada, o capitão reformado passou a fazer campanha junto aos eleitores somente nas redes sociais, além das propagandas gratuitas de rádio e TV. Bolsonaro também evitou os debates contra Haddad no segundo turno, mesmo tendo liberação médica para participar.
Nono presidente da “Nova República”
Jair Bolsonaro será o 9º presidente da “Nova República”, que começou em 1985, após a Ditadura Militar. De lá até hoje, o Brasil foi governado por Tancredo Neves*, José Sarney (1985 – 1990), Fernando Collor (1990 – 1992), Itamar Franco (1992 – 1995), Fernando Henrique Cardoso (1995 – 2003), Luiz Inácio Lula da Silva (2003 – 2011), Dilma Rousseff** (2011 – 2016) e Michel Temer*** (2016 – 2018)
* Tancredo tinha posse marcada para o dia 15 de fevereiro de 1985, mas a cerimônia não chegou a acontecer porque o então presidente eleito ficou doente na véspera e acabou falecendo em 21 de abril do mesmo ano.
Confira abaixo a cronologia da vida de Bolsonaro até à Presidência da República:

21.mar.1955

Nasce, em Glicério (SP), Jair Messias Bolsonaro, filho de Perci Geraldo Bolsonaro e de Olinda Bonturi Bolsonaro. É registrado em Campinas

1977

Conclui curso de formação de oficiais da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), em Resende (RJ), e o curso de paraquedismo militar na Brigada Paraquedista do Rio de Janeiro

jul.1979

Casa-se com Rogéria Nantes Nunes Braga, em Resende, com quem tem os filhos Flávio, Carlos e Eduardo

1983

Forma-se em educação física na Escola de Educação Física do Exército e torna-se mestre em saltos pela Brigada Paraquedista do Rio de Janeiro

3.set.1986

O então capitão do 8º Grupo de Artilharia de Campanha escreve artigo na revista Veja culpando os baixos salários, e não a indisciplina, como Exército fez crer, pelos desligamentos de cadetes da Aman. Bolsonaro é punido e preso por “transgressão grave”

25.out.1987

A revista Veja divulga reportagem segundo a qual o capitão Bolsonaro e outro militar, Fábio Passos, elaboraram um plano que previa a explosão de bombas em unidades militares do Rio para pressionar superiores

4.abr.1988

Bolsonaro protocola defesa no STM (Superior Tribunal Militar) em que afirma que teve seu direito à defesa cerceado pelo Conselho de Justificação, ao qual foi submetido em dezembro, e nega o plano das bombas

jun.1988

Os ministros do STM consideram Bolsonaro “não culpado” das acusações

15.nov.1988

É eleito vereador no Rio de Janeiro pelo PDC (Partido Democrata Cristão) com 11.062 votos

22.dez.1988

Segundo extrato da ficha cadastro de Bolsonaro, o militar “foi excluído do serviço ativo do Exército, a contar de 22 de dezembro de 1988, passando a integrar a Reserva Remunerada”

8.fev.1989

Em entrevista, defende Fernando Collor para a Presidência

3.out.1990

É eleito deputado federal também pelo PDC com 17.674 votos

29.set.1992

É um dos 441 deputados que votam a favor da abertura de processo de impeachment do presidente da República, Fernando Collor de Melo

Abr.1993

É um dos fundadores do Partido Progressista Reformador (PPR), nascido da fusão do PDC com o Partido Democrático Social (PDS)

3.out.1994

Reelege-se deputado federal 135 mil votos e com plataforma de campanha que inclui luta pela melhoria salarial para os militares, fim da estabilidade dos servidores, defesa do controle de natalidade e a revisão da área dos índios ianomâmis

Ago.1995

Com a criação do Partido Progressista Brasileiro (PPB), fusão do PPR com o PP, transfere-se para a nova agremiação

1998

Nasce Jair Renan, seu quarto filho. A mãe é Ana Cristina Siqueira Valle, com quem terá uma união estável

Mar.1998

Protagoniza polêmica candidatura para a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, acusado por setores da sociedade de envolvimento com responsáveis por violação dos direitos humanos

4.out.1998

É eleito mais uma vez deputado federal, com 102.893 votos

6.out.2002

Reelege-se deputado federal pelo Rio, pelo PPB, com 88.945 votos

2003

Deixa o PPB para se filiar ao PTB (Partido Trabalhista Brasileiro)

12.nov.2003

Em discussão sobre a maioridade penal, ao ser chamado de estuprador pela deputada Maria do Rosário (PT-RS), responde que jamais a estupraria “porque não merece”

2005

No início do ano, deixa o PTB e se filia ao PFL (Partido da Frente Liberal)

Abr.2005

É contemplado com a medalha do mérito militar, em Brasília; deixa o PFL e vai para o PP (Partido Progressista), nova denominação do PPB

1º.out.2006

É reeleito para o quinto mandato, com 99.700 votos

Nov.2007

Casa-se com Michelle de Paula Firmo Reinaldo, com quem tem sua filha mais nova, Laura

Mai.2009

Cartaz com os dizeres “quem procura osso é cachorro” pendurado na porta de seu gabinete causa polêmica na Câmara; a peça ironiza a busca de desaparecidos na guerrilha do Araguaia

3.out.2010

Volta a se reeleger para a Câmara, com 120.646 votos

21.mar.2013

Em cerimônia religiosa feita pelo pastor Silas Malafaia, celebra em festa casamento com Michelle

5.out.2014

Pelo PP, é o deputado federal mais votado pelo Rio de Janeiro, com 464 mil votos

9.dez.2014

Em discurso no plenário, volta a dizer que não “estupraria” a colega Maria do Rosário (PT-RS) porque ela “não merecia”

Mar.2016

Deixa o PP e é acolhido pelo PSC

7.mar.2017

Filia-se ao PSL, sigla pela qual concorre à Presidência


Blog Bruno Brito
Compartilhar:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

CONNECT VIAGENS E TURISMO






Broomer






ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI











Tecnologia do Blogger.

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

MESTRE SERVIÇOS






PARCEIRO






Cachoeira do Roberto 200 Anos

Cachoeira do Roberto 200 Anos

Instagram


Pesquise







Mais Acessadas

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI