08 fevereiro 2018

Cemafauna alerta que macacos não transmitem a Febre amarela

Nessa época, frequentemente, vemos notícias sobre o aumento do número de casos de pessoas infectadas pelo vírus da febre amarela. Muitas ainda pensam que os macacos dos gêneros Alouatta, Callithrix e Sapajus (que ocorrem na caatinga) são os grandes vilões dessa história e desconhecem o fato de que esses animais são vítimas tanto quanto nós e sucumbem rapidamente. Na verdade, eles são os nossos sentinelas, ou seja, servem de alerta para as instituições de saúde, mostrando que tal área está sob o foco da doença, dessa forma, colaborando para a elaboração de ações preventivas. A febre amarela é transmitida somente pelo mosquito Aedes aegypti e mosquitos dos gênerosHaemagogus e Sabethes, tanto nos humanos quanto nos macacos.
Em nossa região, predominantemente do bioma Caatinga, é muito comum encontrar até mesmo em áreas urbanas o sagui-de-tufo-branco (Callithrix jacchus), um dos primatas mais conhecidos do Brasil. De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), essa espécie tem sua origem na Caatinga (é endêmico ao Brasil, estando presente nos estados de Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte como residente e nativo. Nos estados da Bahia, Maranhão, Sergipe e, possivelmente, no nordeste do Tocantins, como residente, mas com origem incerta. Nos estados do Espírito Santo, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina como residente e introduzido. Além dessa espécie, há também o sagui-de-tufo-preto (Callithrix penicillata) tendo sua distribuição   endêmica no Brasil, presente nos estados da Bahia, Goiás, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Minas Gerais, Piauí, São Paulo e no Distrito Federal, como residente e nativo, e nos estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina como residente e introduzido. Ambas as linhagens também são muito vulneráveis ao vírus e acabam morrendo rapidamente.
Pensando na conservação da fauna silvestre, o Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga inicia a campanha ‘Febre amarela não é culpa dos macacos!’ para alertar a população local e comunidade acadêmica do Campus de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), zona rural de Petrolina, sobre a importância da conscientização a respeito do ciclo de transmissão do vírus da Febre amarela que no país, de acordo com o mais recente boletim epidemiológico, de 1º de julho de 2017 a 6 de fevereiro de 2018, há registro de 353 casos, sendo destes 98 mortes.
Pernambuco não consta no mapa de casos notificados e confirmados de contaminação com a doença, apesar disso, em Petrolina, a Secretaria Municipal de Saúde recebeu 200 novas doses da vacina que já estão disponíveis desde 19 de janeiro e reforça que o público-alvo (crianças – a partir dos nove meses – que viajarão para regiões consideradas de risco, bem como adultos – até 59 anos – na mesma situação) pode  se dirigir até a AME Policlínica, das 8h às 17h, no centro da cidade.
Entenda o ciclo de transmissão da febre amarela
O vírus da febre amarela é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados. A doença não é passada de pessoa a pessoa. A vacina é a principal ferramenta de prevenção e controle da doença.
Há dois diferentes ciclos epidemiológicos de transmissão, o silvestre e o urbano. Mas a doença tem as mesmas características sob o ponto de vista etiológico, clínico, imunológico e fisiopatológico. No ciclo silvestre da febre amarela, os primatas não humanos (macacos) são os principais hospedeiros e amplificadores do vírus e os vetores são mosquitos com hábitos estritamente silvestres, sendo os gêneros Haemagogus e Sabethes os mais importantes na América Latina. Nesse ciclo, o homem participa como um hospedeiro acidental ao adentrar áreas de mata. No ciclo urbano, o homem é o único hospedeiro com importância epidemiológica e a transmissão ocorre a partir de vetores urbanos (Aedes aegypti) infectados.
A pessoa apresenta os sintomas iniciais 3 a 6 dias após ter sido infectada. (Ascom)
Blog Bruno Brito
Compartilhar:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

CONNECT VIAGENS E TURISMO






Broomer






ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI











Tecnologia do Blogger.

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

MESTRE SERVIÇOS






PARCEIRO






Cachoeira do Roberto 200 Anos

Cachoeira do Roberto 200 Anos

Instagram


Pesquise







Mais Acessadas

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI