12 agosto 2014

Adalberto confirma em entrevista que vai fazer do mandato de deputado federal caminho para o desenvolvimento do Sertão


grfm 3

O deputado estadual Adalberto Cavalcanti (PTB) que disputa eleição para deputado federal no pleito de outubro, disse nesta segunda-feira, dia 11, que deixou de disputar uma reeleição que até  poderia ser mais garantida para a Assembleia Legislativa de Pernambuco, mas que as demandas que a região tem são enormes e que a população precisa de um deputado que faça os recursos chegarem de fato para que sejam investidos na melhoria do povo. Na entrevista, o deputado respondeu a perguntas da produção do programa e de internautas ouvintes da atração.


“Como deputado estadual não tive chance com o governador Eduardo Campos para atender as demandas de nossa região. Ele só me recebeu apenas uma única vez em quase quatro anos de mandato e mesmo assim reclamou por levar as muitas solicitações que o povo do Sertão reclamava. Fiz várias indicações que nunca foram atendidas e só consegui alguma coisa através das emendas limitadas a R$ 1 milhão que os deputados estaduais têm direito para apresentar ao orçamento do estado, mas esse valor é pouco para atender as muitas necessidades do povo do Sertão”, afirmou o parlamentar.



Sobre a dobradinha com Odacy Amorim, deputado estadual do PT-PE candidato à reeleição, o petebista explicou que Odacy seria o melhor nome para que ele pudesse alcançar a confianças das pessoas e assim chegar à Câmara dos Deputados. “A parceria com Odacy existe porque ele é o melhor nome e a nossa parceria é a melhor para a região. Do outro lado existe incoerência, pois são  três candidaturas de uma mesma família, o povo não entende”, disse Adalberto.


O deputado não se esquivou em responder sobre a emenda onde destinou R$ 50 mil para as festividades de Afrânio que completou 50 anos em 2014, mas ressaltou. “Foi apenas por isso, porque todas as emendas, tenho destinado a atender o povo do interior. Em Afrânio foram R$ 150 mil para investimentos na zona rural; Dormentes coloquei mais R$ 200 mil, portanto, não tenho receio sobre esta questão. Sou comprometido com quem mais precisa, não dependo de política. Estou nesse processo para ajudar a melhorar a vida das pessoas. Estou aqui é para trabalhar”, assinalou.


Adalberto também defendeu a presidente Dilma Rousseff que tem sido alvo de críticas de pessoas que até bem pouco tempo eram seus aliados e ressalta que não procedem as acusações de que a presidente não investiu no Sertão pernambucano.  Adalberto rebate e frisa que o governo da presidente Dilma investe pesado na região.


“A UPA24h foi feita com dinheiro federal e o ex-governador Eduardo Campos pegou carona pra inaugurar a UPAe que é do estado para dá a entender que era recurso só do estado. A estrada que liga Dormentes à Lagoas, é outro exemplo. São R$ 200 milhões, obra de Dilma. O governo repassou para o governo estadual R$ 19 milhões para entregar os kits irrigação e fica o estado tirando proveito de uma ação de Dilma. Quando o ex-ministro Fernando Bezerra estava no ministério, Dilma liberou outros R$ 89 milhões para pavimentar as vilas irrigadas, enquanto as rodovias estaduais não vêm um só investimento do Estado”, criticou


Para Adalberto, exemplos de investimentos do governo federal são muitos. Ele comentou respondendo a uma pergunta de um ouvinte sobre a falta de pavimentação da entrada entre a BR de Afrânio e o povoado de Ponta da Serra, interior de Petrolina. 


“Na Ponta da Serra, por exemplo, fiz vários pedidos, eu e Odacy, para a pavimentação do trecho que liga a localidade a rodovia que vai para Afrânio que é federal e é um tapete, mas não tivemos até hoje nenhum retorno do governo estadual. Lá existe investimento sim, da Codevasf, que é do governo federal que está levando água para a comunidade. Então dizer que Dilma não investe na região é querer esconder o que vem sendo feito e isso é muito difícil”, pontuou o candidato.


Adalberto ainda falou do quadro ruim da educação do estado deixado pelo ex-governador Eduardo Campos quando Pernambuco figura entre os priores índices do Ideb e paga o pior salário de professor no Brasil. “Em Afrânio, há três anos que o governo demoliu a escola para construir uma nova e nada. Os alunos estudam num galpão do Banco do Brasil”, denunciou o deputado que ainda citou a falta de investimentos do governo no Distrito Industrial de Petrolina que encontra-se abandonado.


“Pedimos para reduzir os impostos e assim manter a nossa atividade industrial, mas isso não aconteceu e o resultado, as empresas foram embora e o nosso Distrito está abandonado. Vamos caso eleito, ajudar o nosso candidato a governador Armando Monteiro (PTB) eleito, a mudar esse quadro”, atestou Adalberto que tem proposta também para beneficiar a categoria dos mototaxistas. “Foi priorizar a categoria. Me comprometi em brigar para que os mototaxistas tenham as mesmas vantagens dos taxistas, com impostos reduzidos e demais benefícios. Vou apresentar essa proposta de imediato”, enfatizou Adalberto Cavalcanti.
Assessoria
Blog Bruno Brito
Compartilhar:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

CONNECT VIAGENS E TURISMO






Broomer






ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI











Tecnologia do Blogger.

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

MESTRE SERVIÇOS






PARCEIRO






Cachoeira do Roberto 200 Anos

Cachoeira do Roberto 200 Anos

Instagram


Pesquise







Mais Acessadas

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI

ANUNCIE AQUI